Notícias em Destaque

Feira de Santana seus “causos” e casos – Parte 1

 A História é constituída de fatos, mitos e lendas...

Eduardo Kruschewsky

A observação nos ensina ser a História constituída de acontecimentos reais recheados de suposições, informações contraditórias e coisas do tipo “por ouvir contar”.  Isto porque, a depender do autor, um fato, em suas minudências, sofre uma série de alterações. Muita coisa se perde e outras são adulteradas por falta de informação e registro.

Saliente-se que não existiam em determinados períodos históricos a fotografia, os recursos de tecnologias, ou mesmo alguém que deixasse registrado em escrita o fato, passando este a ser contado de acordo com diversos pontos de vista.

Antes de polemizar, precisamos esclarecer algumas coisas, pois os anos de vida e o mergulho em pesquisas já nos fizeram ver que, como diziam os mais antigos, “quem conta um conto, aumenta um ponto...”  Assim, trazendo o assunto para o meio em que vivemos, apontamos alguns pontos polêmicos na História de Feira de Santana.

DATA COMEMORATIVA – DIA DA VILA OU DIA DA CIDADE?

Na sexta-feira, dia 18 de setembro de 2020, Feira de Santana completou 187 anos de emancipação. Aqui já encontramos um ponto de desencontro de opiniões do povo feirense:

Hoje em dia, considera-se o Decreto Imperial que torna Vila o arruado de Sant`Anna da Feira. O local prosperava dentro da Fazenda de Santana dos Olhos D´Água e, em 1829, os moradores fizeram o pedido de elevação a Vila, desmembrando-se de Cachoeira. Este pedido foi encaminhado, em 13 de julho do mesmo ano, para o General José Egídio Gordilho de Barbuda, Presidente da Província da Bahia, para emissão de seu parecer.

O documento foi devolvido para o imperador D. Pedro I que, anos depois, em 13 de novembro de 1832, atendeu o pleito. Naquela época, as coisas aconteciam muito vagarosamente e mais um tempo decorreu: só dez meses depois, em 18 de setembro de 1833, é que, oficialmente, o Decreto foi cumprido. Mas, outros consideram que a data de comemoração do aniversário da cidade é 16 de junho, dia em que, através do Decreto Lei 1320, no ano de 1873, a vila tornou-se cidade com o nome de “Cidade Comercial de Feira de Santana”!

Aí, fica a pergunta:

Qual é data a ser seguida para comemoração?

a) O Decreto Imperial de 13 de novembro de 1832?

b) O cumprimento deste Decreto em 18 de setembro de 1833?

c) O Decreto Provincial de 16 de junho de 1873?

Sem querelas, perguntamos: Deve ser comemorado o Dia da Vila ou o Dia da Cidade? Geralmente, as cidades consideram o Dia da Cidade, data em que a Vila é elevada...  Sabemos que Feira já celebrou o aniversário em junho. No ano de 2000, atendendo pedido de alguns intelectuais, a Câmara Municipal, mudou, “romanticamente”, a data para setembro. Em nossa opinião, a data correta seria junho. Até porque não se tem uma data exata em que a primeira povoação surgiu..

Ainda não acabou vem aí a parte 2 -Esperem......

Por: Eduardo Kruschewsky para o GutembaNEWS.com.br

EDUARDO KRUSCHEWSKY – poeta, escritor e jornalista (DRT 2141). Ex-presidente da Academia Feirense de Letras e seu atual vice-presidente, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Feira de Santana.



Nenhum comentário

AVISO: os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Site GutemBA News.
É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O ADM pode até retirar, sem prévia notificação, comentários ofensivos e com xingamentos e que não respeitem os critérios impostos neste aviso.